A forma de navegar de uma empresa deve ter como base informações e referências que lhe permita ajustar as velas e seguir na melhor direcção.
A “intuição” e técnica de “navegar à vista” deixa de estar no processo de liderança de estratégias e tomadas de decisão. Será esta uma das principais características de uma cultura Data-Driven.


Mais do que reforçar a importância e a capacidade de analisar dados em relação à esfera das empresas, para existir uma cultura data-driven é necessário um pensamento e forma de actuar colectiva em torno da informação que todos os dias os dados produzem e nos transmitem.
Desde a gestão à operação, devem existir fluxos de partilha de informação e incentivo ao pensamento crítico e estratégico entre todos os membros da empresa.


Para a implementação de uma cultura data-driven nas empresas, é necessário conhecer e compreender os seus princípios:

Foco no valor dos dados:

Os dados devem ser vistos como um activo valioso e a empresa deve esforçar-se para maximizar seu valor;

Tomada de decisão baseada em dados:

As decisões devem ser tomadas com base em dados e análises, em vez de intuição ou opinião;

Cultura de experimentação:

A empresa deve incentivar a experimentação e a tomada de riscos calculados para aprender e melhorar continuamente;

Colaboração entre equipas:

As equipas de dados e as equipas de negócio devem trabalhar juntas para alcançar objectivos comuns;

Infraestrutura de dados:

A empresa deve ter uma infraestrutura de dados sólida e confiável para colectar, armazenar e analisar dados;

Governança de dados:

A empresa deve ter processos e políticas para garantir que os dados sejam seguros, precisos e confiáveis.


Como implementar então uma cultura data-driven nas empresas, por onde começar?

  • Designar um líder de dados: nomeando um líder responsável por garantir que a empresa esteja a usar dados de maneira eficaz e eficiente;
  • Treino e educação: oferecer formação e educação para que funcionários de todos os níveis possam entender e usar dados de maneira eficaz;
  • Implementar ferramentas de análise: usar ferramentas de análise para colectar, armazenar e analisar dados, além de permitir a automatização de processos;
  • Fomentar colaboração entre equipas: promover colaboração entre equipas de dados e de negócio para que possam trabalhar juntas para alcançar objectivos comuns;
  • Incentivar a experimentação: Estimular a experimentação, permitindo que as equipas testem hipóteses e aprendam com resultados;
  • Criar métricas de desempenho: Definir métricas claras para medir o desempenho e o sucesso dos esforços data-driven;
  • Governança de dados: estabelecer processos e políticas para garantir a segurança, precisão e confiabilidade dos dados.

Existem diversas vantagens na capacidade das empresas em investirem numa cultura data-driven, principalmente em termos de comunicação omnicanal. As empresas conseguirão conhecer melhor os seus clientes e antecipar necessidades e proporcionar uma melhor experiência de cliente.

Algumas tipologias de dados que podem ajudar na optimização contínua da experiência do cliente são:

👥 Dados demográficos: Informações sobre a idade, género, rendimento, localização e educação dos clientes, que podem ajudar a identificar tendências e segmentar o público-alvo.

🛎 Dados de comportamento: Informações sobre as interações dos clientes com diferentes canais, tais como visitas ao site, compras online, atividade nas redes sociais e interações com o serviço de atendimento ao cliente, que podem ajudar a entender como os clientes interagem com a empresa.

😁 Dados de satisfação: Informações sobre a satisfação dos clientes em relação aos produtos ou serviços, atendimento ao cliente e experiência geral, que podem ajudar a identificar pontos de melhoria.

👍 Dados de feedback: Comentários e opiniões dos clientes sobre a empresa, produtos ou serviços, que podem fornecer insights valiosos sobre o que os clientes gostam e o que desejam mudar.

👩‍💻 Dados de utilização: Informações sobre como os clientes utilizam os produtos ou serviços, incluindo frequência de uso, duração e contexto, que podem ajudar a identificar oportunidades de melhoria.

🌎 Dados de localização: Informações sobre a localização dos clientes, tais como geolocalização e endereço, podem ser úteis para segmentar o público-alvo e personalizar as campanhas de marketing.

Actualmente no mercado existem várias ferramentas de monitorização analítica com foco em costumer experience que podem ser usadas para consolidação e análise dos grupos de dados acima referidos. A empresa fica mais competitiva e atractiva para os seus clientes.

Como em qualquer desafio de cultura de empresa, este é um processo que deve envolver agentes de mudança em todo o seu processo, ou seja, as pessoas da empresa.